Escrevo o que sinto e o que sinto não sei se escrevo
Se sou só este que escuta as flores e os seus olores
Se aquele que vê janelas fechadas para todo o romantismo

Onde antes havia janelas abertas só vejo horrores
De pessoas que passam sem se cumprimentarem
Já não há o espírito de solidariedade e de frontalidade
E eu ceguei para não ver estas coisas que me doem por dentro

Menino triste que passas de bola na mão
Vem brincar comigo só um instante
Não queiras ser como os outros só razão
Ou algo parecido como uma mão vazia de instante algum


Categories:

Leave a Reply